Chave de Inscrição: 016

Responsável: Maria Aparecida de Sá Xavier

Dia e Horário de Postagem das Aulas: Segunda-feira - 19h

Dia e Horário de Aulas ao Vivo: Segunda-feira - 19h

Local: Proiniciar Virtual (https://proiniciar.uerj.br/)

Carga Horária: 40h

Início em 01/03/2021

Término em 31/05/2021

Resumo: 

Introduzir discentes nos temas das práticas socioespaciais culturais, dos processos de espacialidade, território e territorialidade dos Povos e Comunidades tradicionais (pescadores artesanais, caiçaras, ribeirinhos, grupos dos povos originários, grupos quilombolas, seringueiros, faxinais, quebradeiras de coco, geraizeiros, etc), envolvidas em seus fazeresaberes da arte de curar, nas formas de religiosidade, formas de habitar, técnicas, estratégias e táticas – o outro – oportunizar Ecologia dos Saberes, criando possibilidade de diálogo dialógico, não imperial.

Conteúdo:

1- Introdução ao tema, explanando conceitos 

Questão socioambiental no Brasil – espaço, território e territorialidades; ainda “O mito da natureza intocada” (revendo Antônio Carlos Diegues);

Criação das Unidades de Conservação de Uso Sustentável – a nova categoria populações tradicionais.

2- Povos e comunidades tradicionais

Histórico de um conceito em construção – populações tradicionais. 

Quem são? E onde estão? Como veem o mundo? Como se expressam no mundo? 

Exemplos: Caiçaras, pescadores, ribeirinhos, gerazeiros, quilombolas, povos originários, seringueiros, etc.

Campo jurídico: Constituição Federal artigo 225 da Constituição Federal de 1988; artigo 231 e 232; Lei 10.639/03; Lei 11.645/2008.

Políticas públicas: decreto 6.040 de 07 de fevereiro de 2007 – traçando       políticas sustentáveis para os povos e comunidades tradicionais, aqui reconhecidas textualmente

3-Outras Epistemes – Ecologia dos saberes e Ecodesenvolvimento

Como incorporar a questão da ética do humano no planejamento estratégico urbano, rural? Na Educação? Na Saúde? Na habitação? Na Segurança Pública? Nos transportes? Nos Direitos e Garantias Fundamentais?

Amarthya Sen (2000) – Liberdades instrumentais

Condição Humana: Hanna Arendt (2001) – pluralidade como condição humana.

Boaventura Sousa Santos (2009) – Epistemologias do Sul e Ecologia dos Saberes.